A organização da sociedade civil (OSC) Grupo Primavera, de Campinas/SP, encerra nesta sexta-feira, dia 26, a partir das 18h, o Projeto Teatro de Fantoches em Pedreira, que capacitou educadores sociais de quatro creches filantrópicas e beneficiou 380 crianças. O encerramento acontecerá no Centro Integrado Municipal de Educação Infantil (Cimei) “Maria Cecilia Betiolli Lima”, à rua Luciano Geraldo Camparini , 109, Marajoara, com a participação dos educadores e equipe do Primavera.
Participaram do projeto 40 educadores das Cimei “Walkyria Thomazini Cavicchia” e “Maria Cecilia Betiolli Lima”– ligadas ao grupo Nisfram – e da Creche Santo Antonio, todas conveniadas com a Secretaria Municipal de Educação de Pedreira.
Patrocinado pelas empresas Buckman, DHL e CI&T e aprovado pela Lei Rouanet, o projeto contou com 4 sessões que totalizaram 12 horas de capacitação online. Com o kit completo formado por 16 bonecos em mãos, os educadores utilizaram diferentes métodos de manipulação dos fantoches e contação de histórias. Os educadores de Pedreira formaram a segunda turma a receber capacitação on-line neste ano. A primeira turma, capacitada no primeiro semestre de 2021, contou com 119 educadores sociais de Campinas.
Para a gestora executiva do Grupo Primavera, Ruth Maria de Oliveira, o teatro de fantoches oferece um resultado preciso e rápido no desenvolvimento da educação e na construção de relações sociais, auxiliando na construção da cidadania e da cultura. “Neste ano abordamos temas ligados à tecnologia, período em que as crianças tiveram mais contato com celular e computadores”, explica.
Esta é a 12ª edição do projeto, já realizado em 17 cidades brasileiras.
Na capacitação, os educadores foram apresentados ao projeto de forma alegre e lúdica. “O objetivo era encantar inicialmente o educador para, depois, ele encantar as crianças. Trabalhar com fantoches não é somente manipular o boneco, cantar uma música ou mesmo brincar com eles. Envolve técnicas de narração oral cênica, entendendo o processo de interatividade com o público e a criatividade na construção e adaptação de histórias”, complementa Ruth.
Em 40 anos de existência, o Grupo Primavera atingiu a marca de mais de 11 mil atendidos por meio de seus programas de educação complementar, cultural e profissional, com o objetivo de reduzir os riscos sociais aos quais estão expostos, capacitando-os e trabalhando para torná-los cidadãos ativos na sociedade. Oferece aos atendidos conteúdos pedagógicos inovadores e princípios relevantes como pontualidade, respeito, participação, colaboração, organização, disciplina, iniciativa e empreendedorismo.
A instituição, fundada em 1981, recebe crianças, adolescentes e jovens de 6 a 18 anos do entorno do Jardim São Marcos. O ingresso no Primavera segue critérios como perfil socioeconômico vulnerável e a necessidade dos atendidos estarem matriculados na rede pública de ensino.
Compartilhe nosso conteúdo em suas redes sociais!
0